Antepasto de beringela

em

Antepasto de berinjela

Essa receita inaugura uma nova categoria aqui no farofa: para beliscar. Nela incluiremos pratos que por sí só não bastam para uma refeição, coisas do tipo finger food. É o tipo de comida para enganar a fome no meio da tarde, para quando a visita inesperada aparece, ou ainda para acompanhar uma boa conversa à mesa. São para ocasiões simples, mas nem sempre simples de se preparar. Esse post marca também a entrada de dois novos colaboradores no farofa: Andrea, cozinheira de mão cheia e responsável pelaa divulgação e pelos canais de mídia do blog, e Vinicius, designer e crítico gastronômico (nome refinado para o cara que só come).

E para ilustrar essa categoria nada melhor do que o antepasto de beringela. Como ele dura uma eternidade se conservado na geladeira, preparo logo boa quantidade de uma vez. Assim sempre temos algo para servir, mesmo que a visita apareça em nossa casa de domingo (dia de comércio morto aqui) sem avisar.

Roubei a idéia da minha mãe e trouxe pra cá na mala. Achava muito bom quando ela fazia beringela lá em casa para nós petiscarmos. Mas no Brasil eu mal chegava perto do fogão. Não por não gostar, mas para sim por preguiça mesmo. Nunca tive que cozinhar pra comer, então quase nunca cozinhava. Mas de vez em quando batia aquela inspiração e eu colocava a mão na massa. Uma vez, lá pelos 6 anos de idade fiquei sozinho em casa com minha avó. Enchi o saco dela para me deixar fazer um bolo com ela. Ela topou, mas disse que eu teria que esperar pela minha mãe, porque não conseguia alcançar a batedeira que ficava guardada em cima de um armário, bem no alto. Não dei ouvidos porque queria fazer surpresa e dei o meu jeito. Substituí a batedeira por um mixer, segui a receita e fui batendo tudo na própria forma do bolo. Assamos o bolo e o resultado foi muito bom… só que ao contrário. Esqueci o fermento, o bolo virou biscoito. Minha mãe chegou em casa e entrou em crise. Segundo ela, tinha mais massa de bolo nas paredes da cozinha do que dentro da forma. Diz ela que até hoje ainda acha vestigios de massa de chocolate na cozinha, apesar de já termos mudado duas vezes de apartamento desde então.

É bem motivante estar começando na cozinha, preparar algo e sair bom, independente da complexidade do preparo da receita. A beringela foi uma das minhas primeiras experiências aqui na Alemanha para fugir da mesmice do arroz de saquinho com peixe empanado congelado. Como vi que era facil e de cara gostei do resultado, fui adaptando a receita para o meu gosto até chegar a o que é hoje. Ótima receita também para quem quer praticar com a faca na cozinha.

Antepasto de beringela

Dificuldade: Facil
Rendimento: para uma festinha
Preparo: 20 minutos
Cozimento: 90 minutos

Ingredientes:

  • 2 beringelas grandes
  • 1 pimentão (a cor fica por conta do gosto da pessoa)
  • 1 cabeça de alho
  • 150 ml de vinagre balsamico
  • 150 ml de azeite de oliva
  • 75 ml de vinho do porto ou xerez
  • 2 colheres de sopa de mel
  • 1 talo de alecrim fresco
  • sal e pimenta do reino a gosto

Preparo:

Corte a beringela em cubos (eu prefiro cubos pequenos, pois acomoda melhor no pão), assim como o pimentão. Descasque os dentes de alho e corte cada um em três ou quatro pedaços (o alho cortado desse jeito continua crocante mesmo depois de cozido e perde parte de seu forte sabor). Coloque tudo em uma forma refratária. Regue com o azeite, o balsamico e o vinho. Coloque o ramo de alecrim e misture tudo. Cubra com o mel.

Leve a forma coberta com papel aluminio ao forno a 150°C por 1 hora. Retire então do forno, misture tudo, acerte o sal e a pimenta e volte a forma ao forno, dessa vez sem o papel aluminio. Deixe cozinhar por mais meia hora. Sirva frio ou gelado.

O ideal é preparar o antepasto alguns dias antes de servir. Quanto mais tempo na geladeira, mais o sabor se desenvolve. Há duas variações dessa receita: pode-se adicionar azeitonas pretas ou uvas passas. No caso de adicionar uva passa, diminua a quantidade de vinho e mel para não ficar doce demais.

O vinho:

Apesar de o mel reduzir a acidez do balsamico, essa ainda assim aparece bastante no prato. Portanto o vinho que acompanha o antepasto também precisa ter uma boa acidez, além de ser frutado. A o sabor de frutas cítricas vai muito bem com o balsamico e também com o mel. Por isso sugiro um Pinot Grigio italiano.

Divirtam-se e bom proveito!

Anúncios

3 comentários Adicione o seu

  1. Rosa disse:

    Muito bom a adição de outros ingredientes à berinjela, dá um outro sabor.
    E a história do bolo …, ninguem esquece.

  2. eu ficou muito bom…
    uma delicia kkk

    1. Felipe disse:

      que bom que gostou, Rodrigo! Valeu pelo comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s